11 de ago de 2013

A Mosca

     Comprei há alguns anos os DVD's dos filmes A Mosca e A Mosca 2, sendo o primeiro de 1986 e o segundo de 1989. Baseado no filme A Mosca da Cabeça Branca, com Vicent Price e que por sinal, é muito tosco em termos de produção pelo que deu pra ver nos trailers (também pudera, é antigo pra caramba - 1958), e teve 2 sequências, cujos nomes originais são O Retorno da Mosca e O Monstro de Mil Olhos. Esta adaptação fez sucesso pelas cenas nojentas e a transformação marcante e degradante do personagem Seth Brundle, interpretado por Jeff Goldblum, que fez também a série Parque dos Dinossauros, mas sempre que o vejo, lembro da mosca, isso deve acontecer com muita gente.



 
     Este filme me marcou muito, porque eu tinha 7 anos quando vi e acho que fiquei traumatizado por duas razões: 1- até hoje tenho sonhos nos quais meus dentes ficam frouxos e caem da minha boca, como acontece com Seth no filme, e 2- no dia do meu aniversário de 8 anos, no Hermenegildo, eu estava brincando de imitar o filme assustando o Rafael, irmão do Tiago Acosta (cabeça), meu primo, ele era menor do que eu e estava bravo e me seguia e eu corria, quando minha tia  Luiza e o namorado, que estavam tomando chimarrão na porta da minha casa, me seguraram para o Rafa me pegar, e resolvem passar a garrafa térmica por cima de mim e a dita cuja cai nas minhas costas, e eu saí saltitando com água fervendo nas costas e no pé. Passei meu aniversário na cama cheio de bolhas e queimaduras enquanto todos brincavam!

        Voltando ao filme, o solitário Brundle inventa uma máquina de teletransporte, mas quando briga com a namorada Verônica (Geena Davis) toma um porre e resolve testar consigo mesmo, mas não contava com uma mosca que entrou na câmara com ele, e o computador, não sabendo o que fazer, funde os dois em nível molecular. A princípio ele pensa que a máquina purificou seu sistema, graças aos sentidos aguçados e agilidade, mas aos poucos começa a se transformar por dentro numa mosca gigante meio humana. Caem unhas, dentes e ele não consegue engolir comida sólida, então começa a vomitar uma gosma corrosiva para desmanchar os alimentos (e depois a mão e o pé do ex-namorado de seu amor) em cenas simplesmente asquerosas, como a do parto, onde nasce uma larva gigante. E chega dar náuseas quando entendemos o plano de Brundle no final, quando queria fundir a si mesmo, a esposa e o bebê em seu ventre, todos num só corpo, pois era a única maneira de purificar seu DNA novamente. Veja os estágios da transformação:







            Ainda não assisti todos os extras do DVD duplo, mas tem uma cena em que nasce um pequeno braço de mosca no corpo de Brundle, que simplesmente arranca e devora o membro. Os produtores disseram que numa exibição dessa versão, uma senhora começou a vomitar no cinema, e resolveram retirar.

            Os dois filmes têm drama, romance, terror e ficção, gêneros que me agradam muito, ainda mais quando misturados. Eu poderia escrever muita coisa mais sobre esse primeiro filme, descrever cenas ótimas, mas vamos à sequência. 



   A Mosca 2 conta a história do filho de Seth, Martin, que com cinco anos tem o tamanho de um adulto e a inteligência de gênio. Ele foi criado dentro de uma empresa científica e  aos poucos vai descobrindo sua origem, quando começa a se transformar também num monstro.     
    Tem cenas marcantes e violentas também, mas o filme não chega a ser apelativo e não tem a pretensão de ser melhor que o primeiro, e nisso acerta. O monstro principal é meio tosco, mas eu sinceramente prefiro muitas vezes os velhos animatronics do que efeitos digitais.       
    Desta vez temos um final feliz e aparentemente um fim para a maldição. O ator é Eric Stoltz, que interpretou o pai pedófilo da garotinha do filme Efeito Borboleta.
    Agora sinceramente, a criatura que aparece no final (na verdade o cientista que manipulou Martin) é simplesmente a coisa mais nojenta que eu já vi no cinema! Repugnante!!!  Ela se arrasta para poder se alimentar e a câmera dá um close no prato, onde está pousada uma mosca. Genial! Pena que não achei uma imagem mais clara: 



Nenhum comentário: