22 de set de 2013

Yo-Ho Delic

No site Lágrima Psicodélica (do qual o Goia Santos havia me falado) encontrei por volta de 2010 vários álbuns que procurava de bandas de rock brasileiras. Três delas são Os Cascavelletes, TNT (os primeiros discos, que não foram lançados em cd) e Yo-Ho Delic. Este último eu mal lembrava como era direito. 

 

Lembro que o videoclipe de Brasil Banana Samba dava na MTV direto. Muito bem produzido, era um desenho animado mostrando meninos de rua com os olhos vermelhos bebendo álcool na garrafa e assim por diante. Letra com crítica social. O som era pesado e sujo, com vocal tipo hip hop gritado, mas com uma guitarra competente.

Eis o link: http://www.youtube.com/watch?v=cSsCBTH84NE
 Cheguei a ouvir o LP do Rodrigo "Rato" Barbosa (que havia emprestado pro Justino Anacker que emprestou pro Marcondes que me emprestou), mas não lembrava das outras músicas. A crítica no Lágrima era totalmente positiva, mas os caras lá sempre eram dados a hipérboles, e comecei a ouvir meio desconfiado, mas não é que me surpreendi? Os caras tem um estilo próprio, um rock com funk (não este funk da mídia atual , aquele meio jazz), rap e blues. 

          Os músicos são impecáveis. O vocal pode incomodar um pouco, mas é o que dá o peso pro som dos caras. Lembrei do Living Colour ao ouvir a batida da primeira música, Shut Up. Mas é a partir da 2ª faixa, Tijuana Dreams que o álbum conquista, graças à qualidade sonora, parece ZZ Top. O baixo, com seus “slaps” sempre se destaca, e às vezes a batera chega a ser hardcore. Até um saxofone aparece em algumas canções. A citada Brasil... chama atenção pelo riff na introdução, e a única fraquinha é Frontiers of Thailand, com 7 minutos. Há uma instrumental chamada Phunk.

O álbum tem 10 canções em apenas 38 minutos. É uma pena que esses caras não apareceram mais. Eu nunca mais ouvi falar. Mas no youtube tem vídeos deles de 2010.

Nenhum comentário: